O Imposto de Renda é um tema que costuma gerar muita discussão e preocupação entre os contribuintes. Anualmente, milhões de pessoas precisam lidar com a tarefa de prestar contas ao governo sobre seus rendimentos, e isso pode ser bastante estressante, especialmente para aqueles que deixam tudo para a última hora. Infelizmente, a procrastinação é um comportamento comum entre muitos brasileiros, e isso inclui também a declaração do Imposto de Renda. Muitos contribuintes acabam adiando a entrega da documentação até o último minuto, o que pode gerar uma série de problemas. A primeira questão a ser destacada é que deixar o Imposto de Renda para a última hora aumenta consideravelmente as chances de cometer erros na declaração. Quando estamos sob pressão, é mais fácil deixar passar alguma informação importante ou confundir alguma regra, o que pode resultar em multas ou até mesmo em uma investigação por parte da Receita Federal.

Neste ano, o início de entrega das declarações foi em 15 de Março, e a data final determinada pela Receita Federal é 31 de maio. Para se ter uma ideia, em Minas Gerais foram entregues, até agora (28 de abril), cerca de 1,6 milhão de declarações, aproximadamente a metade do total (3,2 milhões). Vale lembrar, que já se passou mais de um mês do início do prazo e faltam pouco mais de 30 dias para que ele se encerre.

Outro problema é que a correria de última hora pode levar a atrasos na entrega da documentação, o que também pode resultar em multas. Além disso, quem deixa tudo para a última hora acaba perdendo a chance de ter um tempo maior para organizar seus documentos e verificar se está tudo em ordem. É importante lembrar que a Receita Federal cruza os dados informados na declaração com as informações fornecidas por empresas e instituições financeiras, e qualquer discrepância pode resultar em problemas. Além disso, quem deixa a declaração do Imposto de Renda para a última hora acaba competindo com um grande número de outros contribuintes que também deixaram para a última hora. Isso pode sobrecarregar os servidores da Receita Federal e acabar gerando instabilidade no sistema, o que pode prejudicar ainda mais o processo de entrega da documentação. É importante destacar que a declaração do Imposto de Renda é uma obrigação anual que não pode ser evitada. Adiar a tarefa só aumenta o estresse e a ansiedade, além de correr o risco de esquecer algum detalhe importante. Por isso, é fundamental encarar a tarefa com seriedade e organização, para evitar problemas futuros.

Para evitar esses problemas, a dica é começar a se organizar com antecedência. O primeiro passo é separar todos os documentos necessários, como comprovantes de renda, despesas médicas e educação, informes de investimentos, entre outros. Depois, é importante verificar se todas as informações estão corretas e atualizadas, para evitar erros e multas. Outra dica importante é utilizar os recursos oferecidos pela Receita Federal para facilitar o processo de declaração. O programa gerador da declaração pode ser baixado gratuitamente no site da Receita, e conta com uma série de ferramentas que ajudam a verificar a veracidade dos dados e facilitam o preenchimento. É importante lembrar que o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda costuma ser até o final de abril, mas pode ser alterado a cada ano. Por isso, é fundamental ficar atento às datas e evitar deixar tudo para a última hora. 

Em resumo, deixar a declaração do Imposto de Renda para a última hora pode gerar uma série de problemas e preocupações, como erros na documentação, atrasos na entrega, sobrecarga nos servidores da Receita Federal e, principalmente, multas. Para evitar esses transtornos, é fundamental se organizar com antecedência, separar todos os documentos necessários, utilizar as ferramentas disponibilizadas pela Receita Federal e ficar atento às datas de entrega. Dessa forma, será possível cumprir com a obrigação anual de maneira mais tranquila e evitar problemas futuros. Não deixe o Imposto de Renda para a última hora, comece a se organizar hoje mesmo!

José Maria Leão de Carvalho, diretor-fundador da Conexus Contabilidade, de Belo Horizonte, alerta que deixar a Declaração para a última hora incorre em riscos de não conseguir entregá-la. “É totalmente desaconselhável que se faça a Declaração do Imposto de Renda nos últimos dias ou horas, porque o contribuinte fica sujeito a enfrentar desde problemas técnicos – como site congestionado ou falhas de sistema -, a intercorrências pessoais – como acidentes e doenças – fatores que podem impedi-lo de entregar a Declaração e, consequentemente, ter problemas com a Receita Federal”, comenta.
Quem deixa de entregar a Declaração do Imposto de Renda pode sofrer penalidades como pagamento de multa, bloqueio do CPF e até mesmo ser acusado de sonegação fiscal.  O valor da multa é de 1%, ao mês, sobre o valor do imposto de renda devido (limitado a 20% do total), sendo o valor mínimo de R$ 165,74. Com o CPF bloqueado, não é possível se inscrever em concursos públicos ou retirar um prêmio de loteria, por exemplo. A pena para quem é condenado por sonegação fiscal é de detenção, que varia de seis meses a cinco anos.


De olho nas mudanças no Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) deste ano


Entre as principais mudanças na Declaração de 2023, José Maria destaca, primeiramente, a compra e venda de imóveis. “Na Declaração do tipo pré-preenchida, as informações sobre imóveis adquiridos ou vendidos pelo contribuinte são trazidas automaticamente, caso a operação tenha sido registrada em cartório”, diz.


Outro ponto importante, que também é novidade no Imposto de Renda deste ano, é sobre pensão alimentícia. O especialista ressalta que esses valores não são mais tributados, como ocorria em anos anteriores. A restituição por meio Pix é mais um fato novo no IRPF 2023. Entretanto, José Maria pontua que, para receber a restituição via Pix é necessário que se tenha uma chave de CPF cadastrada, pois é a única forma de identificação utilizada pela Receita Federal. “Todas essas mudanças são muito bem vindas, porque foram implementadas com a intenção de facilitar a vida do contribuinte”, comenta o especialista.


Cuidados para não cair na malha fina


A temida malha fina é motivo de preocupação para muitas pessoas, porém, cuidados simples podem evitar inconsistências na Declaração. “Primeiramente, basta não tentar ocultar informações, como não informar rendas, compra de imóveis, de veículos, e movimentações financeiras acima de R$ 40 mil”, destaca José Maria. “É preciso estar atento às regras para fazer a declaração corretamente. É a melhor forma de evitar problemas com a Receita”.


GCAP


José Maria Leão de Carvalho faz questão de destacar outro ponto importante para o Imposto de Renda, porém pouco conhecido dos contribuintes: o Programa de Apuração dos Ganhos de Capital (GCAP). “É por meio do GCAP que o contribuinte informa à Receita Federal acréscimos em seu patrimônio, ou seja, lucros como venda de imóveis e automóveis, por exemplo”, explica. O GCAP está disponível para download no site da Receita e o prazo para preenchimento e entrega é diferente da declaração do Imposto de Renda: no máximo, até o último dia útil do mês posterior à operação que foi realizada.

Com o objetivo de ajudar a evitar o atraso na declaração do Imposto de Renda, separamos 20 dicas importantes que podem ser úteis para quem deseja se organizar com antecedência e não deixar tudo para a última hora:

  1. Marque uma data em seu calendário para separar e organizar todos os documentos necessários para a declaração do Imposto de Renda;
  2. Comece a coletar todos os documentos necessários o quanto antes, como informes de rendimentos, despesas médicas e educacionais, comprovantes de investimentos, entre outros;
  3. Utilize a plataforma do e-CAC da Receita Federal para verificar sua situação fiscal, evitar pendências e estar por dentro das suas obrigações;
  4. Utilize planilhas para auxiliar na organização das informações e dados necessários para a declaração do Imposto de Renda;
  5. Faça uma análise criteriosa dos dados e informações contidas nos informes de rendimentos e demais documentos;
  6. Caso seja necessário, procure ajuda de um profissional de contabilidade para fazer uma revisão dos documentos e informações;
  7. Evite a procrastinação e comece a preencher a declaração do Imposto de Renda o quanto antes;
  8. Seja organizado e faça a declaração do Imposto de Renda de forma segmentada, ou seja, separando as informações por tipo de rendimento ou dedução;
  9. Seja paciente e cuidadoso ao preencher a declaração do Imposto de Renda, conferindo os dados informados e evitando erros;
  10. Utilize o programa gerador da declaração do Imposto de Renda, disponibilizado pela Receita Federal, para facilitar o preenchimento;
  11. Fique atento ao prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda, que normalmente é até o final de abril, mas pode ser alterado a cada ano;
  12. Utilize o sistema de agendamento para evitar filas e agilizar o atendimento na Receita Federal;
  13. Evite deixar para a última hora e envie a declaração do Imposto de Renda com pelo menos uma semana de antecedência do prazo final;
  14. Faça o envio da declaração do Imposto de Renda em horários com menor tráfego de dados, para evitar instabilidades no sistema;
  15. Verifique a declaração do Imposto de Renda antes de enviar, conferindo todos os dados e informações;
  16. Se tiver dificuldades para preencher a declaração do Imposto de Renda, procure ajuda da Receita Federal, por meio dos canais de atendimento;
  17. Guarde todos os comprovantes e recibos utilizados na declaração do Imposto de Renda por pelo menos cinco anos, para eventuais necessidades de comprovação;
  18. Mantenha-se atualizado sobre as mudanças na legislação tributária, que podem impactar na declaração do Imposto de Renda;
  19. Mantenha um registro atualizado de todas as suas despesas e rendimentos ao longo do ano, para facilitar a declaração do Imposto de Renda no próximo ano;
  20. Planeje suas finanças com antecedência, evitando atrasos e multas na declaração do Imposto de Renda.

 

Com o objetivo de ajudar a fazer a declaração do Imposto de Renda 2023 de forma mais tranquila e organizada, separamos 20 dicas importantes que podem ser úteis para quem deseja cumprir com essa obrigação anual:

  1. Fique atento ao prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda, que normalmente é entre março e abril, e evite deixar para a última hora;
  2. Acesse o site da Receita Federal e verifique se você é obrigado a fazer a declaração do Imposto de Renda, de acordo com os critérios estabelecidos pela legislação;
  3. Separe com antecedência todos os documentos necessários para a declaração do Imposto de Renda, como informes de rendimentos, recibos de despesas médicas e educacionais, comprovantes de investimentos, entre outros;
  4. Utilize o programa gerador da declaração do Imposto de Renda, disponibilizado pela Receita Federal, para facilitar o preenchimento;
  5. Faça o download do programa gerador da declaração do Imposto de Renda do site da Receita Federal e instale em seu computador;
  6. Selecione o tipo de declaração do Imposto de Renda que deseja fazer (completa ou simplificada) e preencha todos os campos obrigatórios com atenção;
  7. Caso tenha dúvidas durante o preenchimento, consulte o manual do programa gerador da declaração do Imposto de Renda ou entre em contato com a Receita Federal;
  8. Confira todas as informações e dados preenchidos na declaração do Imposto de Renda antes de enviar, evitando erros ou omissões;
  9. Utilize o sistema de agendamento para evitar filas e agilizar o atendimento na Receita Federal;
  10. Se necessário, solicite ajuda de um profissional de contabilidade para fazer uma revisão dos documentos e informações utilizados na declaração do Imposto de Renda;
  11. Guarde todos os documentos utilizados na declaração do Imposto de Renda por pelo menos cinco anos, para eventuais necessidades de comprovação;
  12. Selecione o tipo de deduções que deseja fazer na declaração do Imposto de Renda, como despesas com saúde, educação, previdência, entre outras;
  13. Informe todos os seus rendimentos, incluindo salários, benefícios, aluguéis, entre outros;
  14. Utilize a plataforma do e-CAC da Receita Federal para verificar sua situação fiscal, evitar pendências e estar por dentro das suas obrigações;
  15. Preencha corretamente as informações sobre seus dependentes, caso tenha;
  16. Fique atento às mudanças na legislação tributária, que podem impactar na declaração do Imposto de Renda;
  17. Utilize planilhas para auxiliar na organização das informações e dados necessários para a declaração do Imposto de Renda;
  18. Seja cuidadoso e atento na hora de preencher as informações, evitando erros e omissões;
  19. Faça a declaração do Imposto de Renda com antecedência, para evitar imprevistos e multas;
  20. Mantenha um registro atualizado de todas as suas despesas e rendimentos ao longo do ano, para facilitar o preenchimento da declaração do Imposto de Renda no próximo ano.

 

Fazer a declaração do Imposto de Renda pode ser uma tarefa complexa e exigir muita atenção e organização. Por isso, é importante seguir as dicas apresentadas acima para evitar erros e omissões, cumprir com as obrigações fiscais e, consequentemente, evitar problemas futuros com a Receita Federal.

Além disso, é fundamental ficar atento às mudanças na legislação tributária, que podem afetar a declaração do Imposto de Renda, e manter uma boa organização dos seus documentos e comprovantes de despesas e rendimentos ao longo do ano.

Com essas dicas, é possível fazer a declaração do Imposto de Renda de forma mais tranquila e organizada, garantindo a correta apuração dos tributos e evitando possíveis transtornos e multas.


Lembre-se, a data final determinada pela Receita Federal é 31 de Maio de 2023

 

Quais são os serviços contábeis mais procurados por pessoa física?

 

Hoje falamos sobre “Imposto de Renda 2023” A Contabilidade Conexus atua no mercado contábil desde 1982 com soluções de ponta e sempre inovadoras.

Para saber mais informações consulte um de nossos especialistas agora mesmo!
📞 (31) 3508-2000
💻 Instagram: @contabilidadeconexus

×