Os relatórios fiscais para empresas são estratégias e ações que proporcionam transparência da gestão contábil, tributário e fiscal da empresa . Conforme o que é relatado, a empresa aborda os planejamentos e toda a execução orçamentária e financeira. Além disso, os relatórios fiscais trazem à tona tudo aquilo que foi executado na corporação, conforme o que foi estabelecido.

Leia Também:
Como a assessoria contábil atua em diferentes empresas?

Como forma de ser ainda mais transparente na questão da gestão fiscal, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) instituiu o Relatório de Gestão Fiscal (RGF), com o objetivo de abranger todas as informações necessárias referentes às metas fiscais. Hoje vamos falar O que são os relatórios fiscais para empresas, como e porque fazer e quais as vantagens? Confira:

Qual a importância do relatório fiscal para as empresas?

O RGF foi implementado pela Lei complementar nº 101/00, com o objetivo de proporcionar controle das metas estabelecidas, bem como o monitoramento de execução de cada uma. Por mais que seja obrigatório em órgãos e entidades da União, estados, municípios e DF, as corporações também montam os relatórios, com o intuito de adquirir uma maior transparência nas suas finanças. Fazendo isso, a empresa aumentará ainda mais o controle do seu armazenamento e dos gastos.

Quais informações devem estar contidas no relatório fiscal?

As informações presentes nos relatórios fiscais estão relacionadas às obrigatoriedades fiscais da corporação. Por se tratar de algo mais complexo, é possível que seja necessário produzir vários relatórios contendo algumas informações, como:

  • Responsabilidades tributárias: todos os impostos que foram recolhidos e contidos pela instituição;
  • Inscrições: esse ponto varia de estado para estado, ou até de município para município. Além disso, em cada setor de atuação, a empresa pode estabelecer um valor;
  • Obrigações fiscais trabalhistas: aqui temos das mais diversas origens, podendo ser de envios feitos ao eSocial com vínculo trabalhista, como RAIS, GFIP, Caged e diversos outros;
  • Fluxo de caixa: nesse ponto, temos os dados e as informações necessárias sobre a capacidade da corporação de cumprir com as questões fiscais e diversos outros;
  • Estoque: informações em relação ao estoque e aos documentos fiscais de cada mercadoria;
  • Notas fiscais: dados completos sobre todas as emissões realizadas, correções e cancelamentos.

Quais as vantagens dos relatórios fiscais para a empresa?

São inúmeras as vantagens advindas dos relatórios fiscais. Pensando nisso, preparamos as principais e mais relevantes!

1. Redução de custos

Sabemos que, atualmente, o número de tributação no Brasil é bastante elevado. Por isso, antes de falarmos, é válido salientar sobre a importância de estar sempre por dentro desse assunto. Pagar impostos mais baratos do que a legislação exige é um crime para a sua corporação. Esse crime se chama sonegação. Quem o comete pode ser penalizado duramente pela lei. Porém, pensando no outro extremo, quem paga impostos além do necessário pode perder muito dinheiro.

Com o relatório, é possível definir quais impostos são realmente necessários. Isso favorece a manutenção das contas da empresa, deixando-as estáveis e controladas da forma mais correta.

2. Aumento da competitividade

No século em que vivemos, as vias tecnológicas e o avanço das empresas fomentaram ainda mais a competitividade. De certa forma, sabemos que a competitividade contribui para o despertar das empresas que ficam mais estagnadas. Diante do vasto mercado existente, as inovações contribuem para a evolução das corporações também, colaborando para que haja espaço para cada uma no mercado vigente. O que antes levávamos horas para resolver, hoje, podemos resolver em um “clique”!

Caso você, empresário, não tenha bastante capital para investir na sua corporação ou tenha muito medo de ser pego pela fiscalização, sua empresa, infelizmente, ficará mais estagnada do que as outras! Claro que sabemos que, no início de uma gestão, o capital não flui muito bem, mas com dedicação e esforço, dá tudo certo! Por exemplo: você pode gerir a sua empresa criando planos de execução, como os relatórios, de modo que você conseguirá prever um pouco mais sobre os custos de cada etapa. Fazendo isso, você vai encontrar mais tempo e conseguirá se tornar uma empresa ímpar e lucrativa no mercado!

3. Evitando problemas com a Receita Federal

Como já mencionamos anteriormente, sabemos que a legislação é muito rigorosa quanto a essa questão e que não pagar impostos o faz responder por crime de sonegação! A Receita Federal acompanha os documentos periodicamente e, por isso, eles fiscalizam rigorosamente as suas ações na empresa. Fique atento!

4. Otimização do fechamento da contabilidade

Todo o funcionamento de uma empresa gira em torno do planejamento e da equipe que o conduz.

Por isso, todo o setor administrativo e financeiro gira em torno disso, sendo basicamente as consequências do que foi gerido.

Os relatórios fazem basicamente isso.

Podemos dizer que são o planejamento da corporação, uma vez que explicitam a realidade da empresa e possibilitam ações que podem estabilizar a questão financeira, otimizando o fechamento da contabilidade.

Além disso, o fechamento pode ser feito bem mais rápido do que o comum, com a garantia de conter informações corretas e eficazes para o gerenciamento. Diante disso, podemos entender que a organização dos dados ajuda muito a parte da contabilidade, além de diversos outros departamentos da corporação.

5. Centralização de documentos fiscais

O relatório centralizará os seus documentos, permitindo que tudo esteja contido em um único lugar, otimizando ainda mais a organização e a atuação da gestão. Além de podermos contar com a tecnologia, os relatórios fiscais facilitarão a busca por documentos, contribuindo para o desenvolvimento da instituição. Sabemos que não é tão fácil, mas, com toda dedicação e com esforço, a empresa consegue se adequar ao uso dos relatórios fiscais!

Elaborar cada relatório fiscal exige muita dedicação, mas os frutos que serão colhidos serão abundantes! Por isso, devemos pensar no futuro e ir muito além! Portanto, preparamos este post para facilitar ainda mais a sua trajetória de empreendedor, incentivando você a adotar novos modos que farão a sua empresa crescer ainda mais! Gostou do nosso artigo sobre relatórios fiscais? Então, entre em contato conosco e conheça como podemos ajudá-lo!

 

Como elaborar os relatórios fiscais fiscais para empresa?

 

1. Crie uma descrição objetiva da empresa e uma visão geral

Os relatórios fiscais deve iniciar estabelecendo os objetos do relatório e as circunstâncias políticas e econômicas do momento em que os dados descritos no documento ocorrem.

Além de fornecer uma breve sinopse de sua empresa e de seu respectivo setor, você também deve discutir os principais eventos ocorridos, incluindo questões conjunturais (como a alta do dólar e o aumento da inflação, por exemplo), conquistas notáveis que valorizem o trabalho sendo executado e a marca, a exemplo de marcos atingidos por funcionários específicos, pela administração ou pela empresa como um todo.

Exemplo:

“A Empresa X é uma empresa residencial e comercial de soluções de paisagismo e cuidados de gramado, com sede em Recife, Pernambuco. Somos um participante importante do setor e estamos comprometidos em superar as necessidades de nossos clientes por meio de uma prestação de serviços que está um passo acima dos nossos concorrentes.

No ano passado, ampliamos as operações para atender a cinco estados adicionais, incluindo Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe, tornando a Empresa X a empresa de paisagismo com maior alcance da região nordeste do Brasil.

Como resultado da recente expansão, a empresa também dobrou o lucro líquido no quarto trimestre. Assim, a expansão também motivou a adição de um novo membro da equipe executiva, João Silva, que atuará ao lado de nosso diretor executivo como diretor de vendas.”

2. Personalize a empresa com a palavra do proprietário, diretor ou CEO

É importante que os relatórios fiscais conectem a solidez da empresa à reputação do seu diretor, atribuindo solidez ao mesmo. Dessa forma, a carta deve ser escrita pelo CEO ou proprietário da empresa em um tom profissional, mas personalizado.

Comece expressando sua gratidão aos clientes de sua empresa e aos funcionários por tudo que eles fazem para sustentar a empresa. Então aborde sua visão para sua organização e como você planeja fazê-la acontecer. Caso seu negócio tenha passado recentemente ou está no meio de uma fase difícil, discuta seus planos para implementar iniciativas que mudarão as coisas. Assim, isso ajudará a restaurar a confiança, tanto dos clientes quanto dos funcionários, na sua marca.

3. Criando o relatório fiscal

Monitorar os dados financeiros de sua empresa é essencial ao buscar financiamento de credores ou investidores para levar sua empresa ao próximo nível. Por isso, é tão importante criar um relatório fiscal detalhado e que demonstra a estabilidade e solidez da empresa. Também, o documento ajuda a precificar seus produtos e serviços, determinar margens e fluxo de caixa e facilitar o registro de impostos.

Seu relatório anual deve incluir:

  • balanço patrimonial;
  • declaração de renda;
  • demonstração de fluxo de caixa.

 

Balanço patrimonial

Existem três partes em um balanço: ativos, passivos e patrimônio líquido. A soma dos ativos e passivos deve ser igual ao patrimônio do proprietário para que o balanço funcione.

Os ativos podem ser classificados como atuais, isso pode ser convertido em dinheiro dentro de um período de um ano ou propriedades fixas. Estes geralmente incluem:

  • dinheiro (curto prazo);
  • contas a receber (curto prazo);
  • inventário (curto prazo);
  • imóveis (fixos);
  • equipamentos e maquinário (fixos).

Assim como aos ativos, os passivos também são categorizados como de curto ou longo prazo. Exemplos de passivos incluem:

  • contas a pagar (curto prazo);
  • impostos a pagar (curto prazo);
  • empréstimos a pagar (longo prazo);
  • notas a pagar (longo prazo);

O patrimônio do proprietário é composto de capital investido e lucros acumulados.

Declaração de renda

Igualmente conhecida como Demonstração de Lucros e Perdas, sua demonstração de resultados revela seu lucro líquido para o ano. Dessa forma, para determinar o lucro líquido da sua empresa, você usará a seguinte fórmula:

LB – CM – TD = LL

  • LB: Lucro bruto ou vendas totais.
  • CM: Custo de mercadorias vendidas (estoque, materiais, suprimentos).
  • TD: Total de despesas operacionais (utilitários, impostos e taxas).
  • LL: Lucro líquido antes dos impostos.

Depois disso, basta pegar o resultado e subtrair pelo montante dos impostos, incluindo o Imposto de Renda:

  • LL – IM = ROL
  • IM: Imposto de renda.
  • ROL: Receita operacional líquida.

Por fim, é preciso somar a receita operacional líquida com o lucro retido do início do ano e, desta forma, chegaremos ao valor do lucro líquido anual:

ROL + LRI = LLA

  • LRI: Lucro retido (início do ano).
  • LLA: Lucro líquido anual.

Demonstração do Fluxo de Caixa

A demonstração do fluxo de caixa indica quanto dinheiro está entrando e saindo do negócio. Assim, para determinar seu saldo de caixa final, use a seguinte fórmula:

SCI + EC – FS = SCF

  • SCI: Saldo de caixa inicial.
  • EC: Entradas de caixa (itens como vendas à vista e pagamentos de contas a receber).
  • FS: Fluxos de saída (itens como compras, salários e despesas com publicidade).
  • SCF: Saldo de caixa final.

4. Contexto organizacional

Esta seção é bastante simples, pois tudo o que você precisa fazer é listar os nomes dos principais gerentes, executivos e diretores com seus respectivos títulos. Se quaisquer posições-chave ou indivíduos foram adicionados ou eliminados da hierarquia de gerenciamento, você também desejará divulgar essas informações para parceiros e investidores.

5. Não esqueça das notas de rodapé

Ademais, certifique-se de incluir notas de rodapé em seu relatório financeiro anual para esclarecer os componentes dos relatórios financeiros que podem precisar de explicação.

Exemplo:

Nota 1 | A Empresa X é um fornecedor de cuidado de gramado para propriedades residenciais e comerciais na região Nordeste do Brasil.

Nota 2 | A Empresa X é uma empresa privada e segue o ano fiscal para fins de relatórios financeiros.

Nota 3 | Ativos e passivos atuais são aqueles que serão coletados ou pagos em um ano ou menos.

Nota 4 | Os bens são depreciados linearmente com base na vida útil estimada, que varia de 10 a 30 anos.

Nota 5 | As contas a pagar incluem valores devidos a profissionais liberais por seus serviços.

Nota 6 | Os impostos sobre os lucros são calculados usando as taxas aplicáveis atuais.

Via: jornalcontabil / egestor / emitte

×