Durante as aulas da primeira disciplina de contabilidade introdutória, é ensinado o que é capital próprio e capital de terceiros, porém não é dado a devida atenção e importância a esses dois conceitos na jornada de uma empresa. Hoje falaremos sobre as diferença entre Capital de Terceiros e Capital Próprio, confira!

O que é Capital de Terceiros?

O Capital de Terceiros são todos os recursos oferecidos por uma entidade externa, em outras palavras, é o que vem de fora da organização. Desse modo, a empresa quando consegue créditos de fora como por exemplo, financiamento e empréstimos que podem ser solicitados via instituições bancárias (Bancos, Financeiras, plataformas de empréstimos), etc., ela adiciona esse valor ao seu ativo e sendo assim, isso significa que ela pode executar e tomar decisões sobre os objetivos da empresa.

O que é Capital Próprio?

O capital próprio nada mais é do que o capital líquido da empresa, isto é,  todo o patrimônio que a empresa possui. Os sócios e acionistas recebem os lucros do seu negócio.  No capital inicial, ou seja, no primeiro capital social investido, eles podem optar por aumentar ou diminuir o valor do montante correspondente ao seu capital próprio.

Qual é a diferença entre o capital próprio e o capital de terceiros?

A diferença entre os dois são suas obrigações, enquanto o capital próprio permite que os seus investidores recebam uma divisão de lucros, o capital de terceiros não depende do desempenho da empresa e precisa ser pago com juros, já que é um pagamento de um valor emprestado.

Em resumo, pode ser que o capital de terceiros seja mais barato, pois podemos parcelar esse valor de acordo com a capacidade financeira da empresa. E assim não “sufoca” o empresário que pode se arriscar mais em seus negócios.

Diferente do capital próprio, que o sócio ou investidor precisa comprovar que a empresa tem um capital negativo, nulo, ou positivo.

Gostou desse artigo? Nós do Viver de Contabilidade torcemos para o seu sucesso profissional!

 

 

Via: viverdecontabilidade

×